terça-feira, 28 de dezembro de 2010

COLOQUE MOBY NA SUA TRILHA


Atenção cineastas e videomakers independentes: você pode colocar músicas do Moby na trilha da sua produção sem pagar nenhum centavo. Isso mesmo, camarada, Moby na trilha do seu filme, com liberação do próprio, e de graça.

Na verdade, trata-se de uma não-liberação, se tomarmos ao pé da letra. Explico: o músico criou um site, chamado MOBYGRATIS.COM, no qual disponibilizou cerca de 150 músicas para utilização gratuita em produções independentes. O cineasta interessado cria uma conta no site, e manda um email pedindo autorização para usar a música. Se não receber resposta em 24h, a utilização está liberada. Por isso disse que é uma não-liberação. Segundo Moby, essa foi a maneira - curiosa - encontrada para agilizar o processo. Sem a burocracia de precisar ler, analisar e responder cada email, o "Ok, pode usar" vem pelo silêncio. Se não tiver resposta, tá liberado!

...

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

DOMINAÇÃO DO MUNDO 101 - A INFORMAÇÃO PÓS WIKILEAKS

Chegaram as festas de fim de ano e com isso a imprensa mundial esqueceu um pouco da Wikileaks, uma base de dados recentemente descoberta por algum reporter que finalmente prestou atenção nos editoriais sobre informática onde não só a Wikileaks, mas milhares de base de dados semelhantes sempre são assunto.

Até três semanas atrás, se eu falasse com alguém de fora da "cultura hacker" (por falta de uma denominação mais adequada) sobre "base de dados hacker" como a Wikileaks, ninguém faria ideia do que eu estava falando, mas agora...
Tá na moda, né?

É óbvio também que o site bombou nessas últimas semanas, mas se algum mané entrou numas de achar a wikileaks no ordinário endereço "wikileaks.com", encontrou a seguinte imagem:
É claro que uma base de dados mantida e consultada por pessoas que pensam de forma binária, ou talvez hexadecimal, cheios de 0's e 1's ou 000's e 256's , quase como clones do Neo (ou da Trinity), não estaria hospedada sobre um domínio público de fácil acesso! Há tempos, desde quando eu comecei a fuçar nessa wiki hacker, nos meu favoritos sempre constou o endereço: http://213.251.145.96/ (a verdadeira Wikileaks).

Embora a fama conseguida na imprensa deixou claro que os documentos expostos pela wiki são de tamanha importância (a ponto de prenderem o dono do "domínio" por crime sexuais, ou no caso, falta do uso de preservativo, na Suécia, o mesmo país paga pau de americano que destruiu o Pirate Bay, lembram do Spectrial? ), o fato é que tem tanto material por lá, que sozinho, você vai levar uns 10 anos pra ler tudo! Isso se o site durar mais dez anos!

Pensando no caso de você sofrer de Síndrome de Napoleão, ou mesmo querer bancar o Ozymandias e reviver a vida de Alexandre, O Grande, ou ainda, quem sabe, entender o que é a Matrix, vou disponibilizar aqui 70 outras bases de dados hackers com documentos semelhantes, ou os mesmo documentos que estão na Wikileaks!

Nota: Não há muito sobre espionagem como na Wikileaks. O site americano que fez essa coletânea buscou por bancos de dados com informações relevantes para a simulação da vida no planeta Terra, ou um programa como a Matrix. As bases de dados mantém informações sobre o clima, saúde, economia, finanças, transito, forças armadas, etc, mas juntando tudo na mão do Cérebro (aquele, amigo do Pink), seria uma bomba!
O ZINISMO não se responsabiliza pela forma que você vai usar essa informação!
Somos apenas a favor da liberdade de expressão e do acesso à informação!


Dominação do mundo 101 - 70 databases to rule the world!



E como diria o Nas: If i ruled the world....

2011



Um passo adiante.
Superação e saúde para todos!
Feliz 2011!

domingo, 26 de dezembro de 2010

PARA FAZER A VIDA MAIS FELIZ

Às vezes basta uma música. Não é pedir demais, né? Pode ser daquelas de 3 acordes e 2 minutos, ou uma pérola pop-rock-suingada de 5 minutos como a que segue logo abaixo, e que está fazendo meu Natal muito mais feliz. Que 2011 seja assim, repleto de canções que fazem nossas vidas muito mais felizes.

Feliz 2011.

Um abraço do amigo
Marcelo.

ps. e muitas boas vibrações emanando da garganta e da guitarra do nosso amigo George...



...

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

EVERYTHING OFF BEAT RADIO SHOW - ESPECIAL DE NATAL


Este especial de natal com todas as vertentes do ska de todo o globo foi ao ar no dia 19/12/2010 no programa de radio Everything Off Beat Radio Show ligado ao selo Jump Up! Records. Com mais de 20 anos de existência,o programa hoje é transmitido pela WLUW-FM 88.7 de Chicago.

Confira:



BOAS FESTAS!!! FELIZ 2011!!!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

CINEMA ITALIANO PARA INICIANTES

Terceiro teaser da entrevista de Fabio Massari para a revista Outro Estilo, e nesse trecho o Reverendo lista 3 filmes italianos para iniciar alguém no assunto. Confira:

Fabio Massari para Revista Outro Estilo teaser 3 from OutroEstilo on Vimeo.



...

A ARTE NA RUA

A essa altura do campeonato, todos já devem ter ouvido falar da polêmica e algo fascista política de proibição aos artistas de rua iniciada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Sem entrar no mérito específico da lei, que parece proibir "apenas" as doações, mas tendo em vista que as artimanhas das leis permitem alcançar fins não mencionados através de meios aparentemente inofensivos (ou menos ditatoriais, talvez), o fato é que os artistas de rua tomaram as ruas para protestar. E protestar, às vezes, também é fazer arte.

O amigo da casa Mauricio Adachi acompanhou a manifestação do dia 20 de dezembro, na Av. Paulista, e mostra como foi através desse vídeo logo abaixo:

A ARTE NA RUA from Mauricio Adachi on Vimeo.



...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

"UM GRANDE MOMENTO LADO B"

Visita insólita nos estúdios da MTV, durante uma gravação de Lado B. Confira no segundo teaser da entrevista de Fabio Massari para a Revista Outro Estilo. Edição do mago Renato Zokreta, "the one and only".

Fabio Massari para Revista Outro Estilo teaser 2 from OutroEstilo on Vimeo.



...

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

AVISO FINAL 20 ANOS - EDIÇÃO ESPECIAL



Não precisamos dizer que o ZINISMO é fã do fanzine AVISO FINAL.
Quando nós fizemos nossos primeiros e inexperientes fanzines há treze ou quatorze anos, o zineiro Renato Donizete já estava na batalha com o AVISO FINAL há mais de cinco anos, batalha esta que continua até hoje.



Difícil mensurar o quanto um fanzine como este fez e faz pelo punk, hardcore e a "cena alternativa" em geral.

O que começou com a nobre missão de resgatar as antigas bandas da região (ABC paulista) tornou-se uma referência no fanzinato nacional, extrapolando o fanzine de papel, através de shows, coletâneas de bandas, encontros de zineiros e muito mais.



Agora, o incansável Renato lança a edição especial de 20 anos, um catálogo com todas as capas do fanzine, uma história ilustrada dessa missão que esperamos que dure ainda mais.

Longa vida ao AVISO FINAL e saúde e sabedoria ao Renato Donizete. Caras como este, que sobrepujam o ego pela causa, fazem toda a diferença.

ZINISMO RECOMENDA!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

MASSARI NA REVISTA OUTRO ESTILO

Fiz um entrevistão com o Fabio Massari pra revista Outro Estilo #04, em janeiro nas bancas. Confira o teaser logo abaixo.

Fabio Massari para Revista Outro Estilo from OutroEstilo on Vimeo.



...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

LANÇAMENTO - LIVRETOS EDITORA ÔRGANIZA - MULTIPLO



De julho à outubro deste ano rolou no Pavilhão da Cultura Brasileira, no parque do Ibirapuera a Mostra Transfer de arte urbana.

Uma das atrações desta mostra foi o espaço da Editora Ôrganiza. Este espaço, coordenado pelos artistas Bruno Kurru e Renan Gaze tinha como objetivo receber artistas para uma vivência que possibilitava através dos equipamentos presentes a produção (in loco) de livretos autorais, artesanais e de baixa tiragem.

No total, participaram do projeto, 23 artistas, dos mais variados estilos e linguagens. Parte desta produção limitadíssima estará disponível a partir de sábado na loja Múltiplo - arte reprodutível, e mais, este dia será uma rara oportunidade de poder trocar idéias sobre as produções com os próprios autores.

Segue a lista dos artistas envolvidos:

Rimon Guimarães
Walter Tinho
Fabio Bitão
Whip
Ciro Schu
Lobot
Amancio Chiodi
Wagner Pinto
Daniel One
Guto Lacaz
Thais Ueda
Lucas Cabu
Buia Buia
Bia Matuck
Coletivo SHN
Dimas Forchetti
Zansky/Base V
Flavio Grão
MZK
Fabio Zimbres
Felipe Ruido

Neste link você confere informações da minha produção neste projeto.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

SEGUNDA SUPERCHUNK

Para começar a semana em grande estilo, uma seleção de clipes e vídeos do Superchunk. Have fun!

Superchunk - Crossed Wires (Acoustic) from Merge Records on Vimeo.





Superchunk - Majesty Shredding from Merge Records on Vimeo.



Superchunk - Cast Iron / The First Part from Merge Records on Vimeo.



















...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

ANOS GRUNGE

Ah, o grunge...

O que seria da década de noventa sem o grunge? Sem Nirvana, Soundgarden, Pearl Jam, e toda a banca de Seattle? Sem o Check your Head do Beastie Boys? Sem o Buffalo Tom? Sem Mtv?

Acho que vivemos alí a última revolução cultural de massa numa época pré Internet. O pior é que nós brasileiros, só não ficamos uns 30 anos atrasados nessa revolução graças ao Collor e ao Roberto Marinho, ou seja, pela primeira vez acompanhamos tudo simultaneamente graças à TV à cabo. Bem, pelo menos quem tinha acesso à TV paga nessa época, mas enfim, o papo aqui é outro mesmo!

A já citada Mtv, que acabara de se tornar parte da gigante Viacom, lançava mundialmente o canal Nickelodeon, destinado ao público infantil e adolescente. Depois o canal acabou ficando bem infantil, mas em tempos de grunge, a emissora irmã da Mtv dava espaço para programas mais voltados aos novos roqueiros de 15/16 anos e suas camisas de flanela xadrez!

Foi assim que surgiu "The Adventures of Pete and Pete". Uma série bem humorada e com uma narrativa surreal que contava a história de dois irmãos, Big Pete Wrigley (Mike Marronna) e Little Pete Wrigley (Danny Tamberelli). Era tipo uma mistura de Os Simpsons com Wonder Years (Anos Incriveis). Aliás, falando em Simpsons, "As Aventuras de Pete e Pete" eram situadas em uma cidade chamada Wellsville, mas o estado nunca foi revelado e o fato é que assim como existem umas vintes Springfields em diversos estados americanos, também exitem umas vinte Wellsville em diferente estados americanos, só pra deixar bem claro a influência de Matt Groening nos criadores de Pete e Pete, Will McRobb e Chris Viscardi.

Além dos Pete's, a série ainda tinha personagens geniais como Artie, o homem mais forte do mundo, Ellen a quase namorada do Grande Pete, a mãe que tem uma placa na cabeça que afeta as ondas de rádio, um pai maluco, Papercut, um garoto especialista em origami e arqui-inimigo do Pequeno Pete e a mais non sense personagem do seriado que tinha direito à crédito na abertura, Petúnia a bela dama tatuada no braço esquerdo do Pequeno Pete que volta e meia aparecia dançando nos episódios, como num strip bar for kids!
petuniaPetunia

Pete e Pete era muito roqueiro! E nem dava pra não ser roqueiro entre 1993 e 96, período que durou a série, embora tenha sido reprisado até 99!

Na verdade, Pete e Pete era muito Grunge!!! E claro, usavam camisas de flanela xadrez! Mas isso não é nada, comparado ao fato deles serem vizinhos do Iggy Pop, ou melhor, Mr. James Pop MeckLenberg, o pai de Nona, a melhor amiga do Pequeno Pete!

E se o vovô Iggy não é suficiente para provar o roqueirismo dos Pete's, então saiba que durante os três anos da série, outros rockstars deram pinta nos episódios. Gente como Debbie Harry, Juliana Hetfield (na época em clima de romance com Evan Dando), LL Cool J, Lucious Jackson (tocando no baile da escola) e o melhor vendedor de sorvete da televisão: Michael Stipe!

Isso sem falar em Polaris, banda que Mark Mulcahy montou especialmente para a série e compôs um dos melhores temas de abertura de todos os tempos, a faixa Hey Sandy, essa do vídeo ai embaixo!

Bom, na gringa tem os dvd's das três temporadas, mas não sei dizer se tem aqui em terra brasilis. Numa busca rápida achei quase tudo no Youtoba, mas sem legêndas. De qualquer maneira, se você assistia e sentiu saudades, ou se você não conhece, não custa nada dar uma sapiada. Garantia de boas risadas, boa música e além disso, nostalgia é a melhor das drogas!
pete and petePete and Pete

Mr. James Pop MeckLenberg


Agora eu vou assitir Kablam!

Ah! E antes que me perguntem... é melhor que Lost!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

LOJA DE INCONVENIÊNCIAS - GÓTICO

Depois do sucesso do original "Loja de Inconveniências", a TV Quase lança mais um da série: "Gótico". Coisa fina!



...

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

30 ANOS HOJE
























John Winston (Ono) Lennon
09.10.1940 - 08.12.1980

Peace, John!

...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

[ from ] - O PLAY DE COVERS DO ÄSTERDON


[ from ] não é o novo disco do ästerdon. Aliás, [ from ] quase não é do ästerdon.
Confuso? Nada disso, é simples na verdade: [ from ] é um EP de covers, feito pelo ästerdon.

São três covers, mas que poderíamos chamar de versões, porque apresentam mudanças significativas em relação aos originais. Klaxons, Pin Ups e Vincebuz.

Bandas com estilos bem diferentes, e as gravações também ocorreram em datas e locais distintos, entre os anos de 2005 e 2007. A formação que gravou esses sons é a mesma do “... and it starts”, ou seja, Punkinho (guitarra), Viegas (voz), Viola (batera) e Idéia (baixo).


Como esses covers/versões estavam meio perdidos por aí, tanto em armários quanto em HD’s, a banda decidiu juntá-los e transformá-los num EPzinho virtual de covers. [ from ], em resumo, é isso.

E aqui está.
O EP abre com Klaxons e o hino new rave “The Bouncer”. Aquela música que fala de “nomes na lista” e seguranças sem coração. Na verdade, sabe-se que essa música não é nem do Klaxons, é tipo um daqueles casos de autor desconhecido, domínio universal. Portanto, é o cover do cover. Foi gravado em 2007, no estúdio Hellno em São Paulo, com produção de Parteum e Nô (ex-Dead Fish). Teclados, programação e mixagem também foram cortesia do Parteum. Resultado: uma faceta do ästerdon desconhecida até (talvez) para a própria banda.

Na sequência temos Pin Ups, com “It’s Your Turn”, faixa presente no álbum “Lee Marvin”, lançado pela Spicy em 1997. A versão ästerdônica nasceu em janeiro de 2006, no estúdio Sound for Sound, em São Caetano do Sul. A música foi gravada para um tributo ao Pin Ups que nunca saiu. Uma pena, pois o Pin Ups é certamente uma das mais importantes bandas da cena alternativa nacional em todos os tempos. Fica, então, a homenagem do ästerdon, em alto e bom som!

Pra fechar, a gravação mais antiga das três, o cover de “Acelerado Numa Noite Suja”, da banda paulistana Vincebuz. Esse registro aconteceu em 2005, nas mesmas sessões de gravação do “... and it starts”, pois no início a ideia não era um EP “solo” do ästerdon, mas sim um split com o Vincebuz. Não rolou. Mas a versão está aí, para a posteridade.


[ from ], o play de covers do ästerdon
.

DOWNLOAD AQUI!

...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

FANZINES PARA ENSINAR



Grata surpresa! A Secretaria Municipal da Educação do Município de São Paulo disponibilizou no Caderno de apoio e aprendizagem de Lingua Portuguesa 2010 - sétimo ano- uma unidade que propõe como atividade final a produção de um fanzine.



A sequência didática é bem interessante e tem mais de quarenta páginas. A introdução apresenta definições contextualizadas sobre o que é o fanzine, acompanhada por explicações a respeito dos tipos existentes e temas abordados. Há também reproduções de trechos, capas e até uma entrevista com a zineira Selene Alge (do fanzine Astro Nuvem). O tipo de texto proposto para a produção é a resenha, e para tanto há exercícios de análise de livros, músicas e filmes.



O mais notável porém, é perceber o reconhecimento do potencial existente no fanzine enquanto gênero literário no sentido de possibilitar a capacidade de expressão e a visão crítica de seus produtores.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

IV MOSTRA NACIONAL DE FANZINES


Começa sábado agora (dia 4 de dezembro) a IV MOSTRA NACIONAL DE FANZINES, promovida pela Secretaria de Cultura de Santos. A Mostra terá atividades culturais diversificadas e rolará em dois lugares em Santos, na Gibiteca Marcel Rodrigues Paes e Pinacoteca Benedicto Calixto.

Eu participarei de uma mesa no domingo (dia 05) sobre "Desafios dos editores independentes" com fanzineiros e produtores autorais, ao lado de duas figuras que aparecem volta e meia aqui no ZINISMO: Douglas Utescher do UGRA Press (SP)e Rodrigo Okuyama do fanzine La Permura, além de Lico Mota e Leandro Altafin e Rodrigo Gutstein.

Segue o serviço completo:

Prefeitura de Santos por meio da Secretaria da Cultura (Secult) realiza a programação de eventos em comemoração aos 18 anos da Gibiteca Marcel Paes Rodriques, em parceria com a Associação Amigos da Cultura.

Evento acontece no dia 4 de dezembro de 2010, às 18h, na Pinacoteca Benedicto Calixto, com a abertura da IV Mostra Nacional de Fanzines e Publicações Autorais HQ, lançamento do Catálogo 2010, apresentação de músicas de trilhas sonoras de desenhos animados com o Quarteto Carobandé, e debate com os principais nomes das histórias em quadrinhos no País.

Outro destaque da mostra é a exposição ‘Dossiê Rê Bordosa’ do cartunista Angeli. a programação segue até o dia 12 de dezembro com oficinas, mostras paralelas, debate com editores independentes, cine HQ (filmes com personagens das HQs), Animelan Movie (exibição de desenhos animados e seriados japoneses).

A mostra acontece na Gibiteca Marcel Rodrigues Paes e Pinacoteca Benedicto Calixto. Confira a programação:

4 de dezembro (Sábado)
18h. Pinacoteca Benedicto Calixto
Abertura das exposições ‘Fanzines 2010′ e ‘Dossiê Rê Bordosa’.
Lançamento do catálogo 2010.
18h30. Pinacoteca Benedicto Calixto
Apresentação do Quarteto Carobandé (trilha sonora de desenhos animados).
19h30. Pinacoteca Benedicto Calixto
Debate ‘Futuro das Histórias em Quadrinhos’ com a mediação do jornalista Paulo Ramos (UOL). JAL (criador do HQ MIX), profª drª Sonia Luyten (organizadora do HQ MIX 2010), Celso Menezes (Jambocks), Renato Guedes (Art&Comics), prof. dr. Gazy Andraus, Emílio Baraçal (Zap HQ!), Maurício Muniz (Gal Editora) e Alexandre Barbosa.

5 de dezembro (Domingo)
14h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Oficina ‘Como desenhar Super Heróis’. Quadrinista Eder Messias.
15h30. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Oficina Processos de Roteirização HQ. Emílio Baraçal (Zap!HQ). O editor estará analisando portfólios de desenhistas.
17h. Pinacoteca Benedicto Calixto
Debate ‘Desafios dos editores independentes’ com fanzineiros e produtores autorais. Debatedores: Flávio Grão do blog Zinismo (SP), Douglas Utescher do UGRA Press (SP), Rodrigo Okuyama do fanzine La Permura (SP), Lico Mota, Leandro Altafin e Rodrigo Gutstein, ambos de Santos.

6 de dezembro (segunda-feira)
18h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Cine HQ: ” Persépolis ” – Animação Francesa (2007)

7 de dezembro (terça-feira)
14h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Oficina ‘Como desenhar Super Heróis’. Quadrinista Eder Messias.
18h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Cine HQ: “Renaissance” – Animação Franco-Inglesa (2006)

8 de dezembro (quarta-feira)
18h. Pinacoteca Benedicto Calixto
Exposição ‘A era dos games’ do RC Estúdio, organizado por Cacá Marszolek.
Exposição dos originais do fanzine ‘La Permura’ de Rodrigo Okuyama
19h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Abertura da Exposição 18 anos da Gibiteca
19h30. Cine HQ: Dossie Rê Bordosa

9 de dezembro (quinta-feira)
18h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Cine HQ: “Wood & Stock – Sexo, Orégano e Rock´n´ Roll” – Animação Brasileira

10 de dezembro (sexta-feira)
16h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Oficina ‘Como desenhar Super Heróis’. Quadrinista Eder Messias.

11 de dezembro (Sábado)
12 às 19h. Gibiteca e Pinacoteca Benedicto Calixto
Concurso de desenho
Exposição do Animelan
Exposição de gashapon
Área de card game
Campeonato de Jenga
15h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Oficina de Cosplay. Animelan
17h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Animelan Movie (desenho animado japoneses)
18h. Acústico banda Strafe (anime songs)

12 de dezembro (Domingo)
11h. Gibiteca Marcel Rodrigues Paes
Oficina ‘Como desenhar personagens
de Animê’. Quadrinista Eder Messias.
12h. Animelan Movie (seriados japoneses)

O evento é uma realização da Prefeitura de Santos por meio da Secretaria da Cultura (Secult) em parceria com a Associação Amigos da Cultura. Apoio: Fundação Pinacoteca Benedicto Calixto, MISS (Museu da Imagem e do Som de Santos), Universo HQ, ZAP!HQ e Animelan.

A Gibiteca Municipal Marcel Rodrigues Paes fica no Posto 5, praia do Boqueirão, em Santos. Funciona de segunda a sábado, das 9h às 19h, e domingo, das 9h às 14h. Tel.: 3288-1300.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

93 FOUNDATION



Começou com um e-mail. Mandei um som para alguns amigos, como costumo fazer de tempos em tempos, quando descubro alguma música muito especial. Nesse caso foi “Laredo”, do Band Of Horses. No mesmo dia, recebi uma resposta do Edu Zambetti, amigo de longa data e comparsa aqui no Zinismo. “Já estou praticamente tocando este som no violão. Som bacana, gravação linda!” Meio que brincando, meio que falando sério, respondi “vamos gravá-la?”, e o Edu nem pestanejou: “Cara, estamos em sintonia... pensei a mesma coisa. Escolha mais uma de outro grupo, assim teremos lado A e lado B... ahahah... pode mandar”.

Escolhi Guided By Voices. “As We Go Up, We Go Down”. Simples e bonita. O Edu, com seu talento e habilidade, gravou rapidinho o instrumental dos sons, na casa dele mesmo. E aí, num sabadão à tarde, comprei umas cervejas, peguei um pedestal no estúdio do Pezão e colei na casa do Du, pra gravar as vozes. Rolou tranquilo, sem stress nem pressão. Como tinha que ser...

Assim nascia o 93 FOUNDATION. Não é exatamente uma banda, mas pode ser também - eventualmente e se quisermos - uma banda. É um projeto entre dois amigos que se conhecem há 17 anos, que possuem muitas afinidades musicais e cresceram impregnados pelo espírito do faça você mesmo. Ou seja, o negócio é realizar. Mão na massa.

Além disso, o 93 FOUNDATION é também um post musical. Explico: um post não precisa ser necessariamente um texto, um vídeo, um desenho ou uma resenha. Quem disse que precisa ser “só isso”? Tal regra não existe. Então, vamos explorar, abrir o leque. Aceite esse pacote zipado como um post do Zinismo, com a diferença de tratar-se de um post musical, um post tocado. Afinal, também conseguimos fazer música... Se é boa ou ruim, são outros quinhentos, mas o fato é fazemos.

Finalizando, devo dizer ainda que a primeira foto de divulgação do 93 FOUNDATION foi clicada pelo Denílson Takeda, tendo o quintal da casa/salão do Baixinho como cenário. A arte da capa, o Logo e a arte do release levam assinatura do Guilherme Theodoro, diretor de arte da Editora ZY. Agradecemos à essas pessoas por contribuírem com seu tempo e talento, enriquecendo esse projeto. Thanx!

Ainda não sabemos quais os próximos passos do 93, mas o importante é que o primeiro passo foi dado. Está aí, nossa homenagem à duas músicas e bandas que gostamos. Uma diversão entre amigos. Um post musical.

ESCUTE LOGO ABAIXO O PRIMEIRO SINGLE DO 93 FOUNDATION:






Para fazer o download do EP, incluindo foto promocional, capa e release, visite nosso bandcamp.

...

sábado, 27 de novembro de 2010

CLIPE NOVO DO BAND OF HORSES

Depois de fazer a música do ano ("Laredo"), o Band Of Horses agora fez o clipe do ano, para o som "Dilly". Enjoy it!

Band of Horses "Dilly" Music Video from Adam Richards on Vimeo.



...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

BAIXE O NOVO EP DO PARTEUM



"A Autoridade Da Razão" é o nome do novo EP do Parteum.


O download é gratuito e o prazer é ilimitado.


Clique aqui e baixe o seu.


Para mais infos sobre o artista, visite o perfil dele no Trama Virtual.


Tá dado o recado da boa música.








Assista o teaser logo abaixo:

Novo EP (A Autoridade da Razão). Teaser #03 from Parteum on Vimeo.



...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

DIÁRIO DE BORDO - TERRA FESTIVAL

Por Graciene Volcov.

Esta não é uma cobertura do Terra Festival!

De fato, é apenas um mero relato, um bilhete escrito com muita parcialidade e sem qualquer compromisso com a objetividade.

A tarde estava linda! O céu, digno de um verdadeiro Monet, com suas pinceladas oscilando entre um azul profundo e um rosa brilhante; e sob esse cenário, por volta das 18:00 horas, chegamos ao Playcenter.

No palco principal, uma banda que eu não conhecia, Of Montreal, entoava sons cheios dessa aura de modernidade que permeia grande parte das músicas da atualidade. Não faz muito meu gosto, mas é inegável que eles foram competentes durante o show! Muita dança e gritinhos efusivos... Divertido por umas horinhas, e só!

Em seguida, Mika entrou no palco, enchendo-o de uma sincera alegria!
O Mika certamente não é meu cantor preferido, contudo, sempre tive certa simpatia por sua música; sabe quando dizemos que uma pessoa é apenas nossa colega e não nossa amiga? Então, é essa sensação que eu tenho com o Mika... Ok! Ele é legal, mas não é meu amigo!

No entanto, mesmo sendo apenas meu “colega”, não posso deixar de admirá-lo! O rapaz tem uma voz excelente e o show dele é ótimo, teatral na medida certa!

E mais, durante o show, o Mika fazia questão de interagir com o público, tornando o show uma experiência muita próxima e amistosa, mesmo para quem, como eu não, não era muito versado na sua sonoridade.

Enfim, se o Mika era só um colega, um mero conhecido, depois do show, ele passou para quase um amigo, um amigo sem muita intimidade, porém, um bom amigo!



E por volta das 22:00 horas, sob uma linda lua cheia, o Phoenix inundou o palco com Lisztomania na platéia, um milésimo de segundo de silencio, que passado, deu lugar a uma histeria coletiva saudável, sincera e honesta.

Todos cantavam e pulavam juntos! Foi uma daquelas cenas memoráveis, despretensiosamente emocionantes e, justamente por isso, incrivelmente comoventes.

E assim transcorreram quase duas horas de show, recheadas de músicas que estavam na ponta da língua dos fãs e, também, alguns momentos memoráveis, dentre eles, a inexplicável e tocante performance de “Love like a sunset I” e “II”, de uma sutileza extrema, aguda e única.

Mas o ponto alto do show ficou mesmo para o final, quando Thomas Mars resolveu mergulhar sobre o público, composto de milhares de pessoas, fãs afoitos, que ficaram boquiabertos e extasiados com a atitude.

Sim, boquiabertos mesmo! Pois na hora do stage dive do Thomas tive a curiosidade de olhar para trás, o tempo parecia fluir em câmera lenta, alguns levavam as mãos a cabeça, outros cutucavam os amigos e outros tinham os olhos cheios de lágrimas... E nesse ínterim, Thomas Mars interagia com o público, por inteiro, sendo aclamado e ao mesmo tempo, aclamando aqueles que o aplaudiam.

Após esse percurso emocionante, finalmente Thomas chegou aonde queria, um poste no meio do Playcenter, no qual ele subiu, agradeceu ao público e finalmente iniciou seu regresso, sempre nos braços calorosos do público, que lhe devolveram são e salvo ao palco.

E assim, com essa despedida intensa e milhares extasiados, encerrou-se um show verdadeiro e, como já disse, intenso em sua sutileza.



A próxima atração do festival foi Pavement, banda que eu respeito muito, no entanto, não tenho afinidade... Em outras palavras, se tocar, eu escuto e aprecio, contudo, certamente não colocaria no meu iPod.

Assim, como precisava descansar para a apresentação do Smashing Pumpkins, optei por não assistir o show do Pavement, então, nada posso declarar, pois durante o mesmo fiquei sentada, descansando, ao lado do Evolution (aquele brinquedo que gira, de ponta cabeça, durante intermináveis minutos), que funcionava a toda.

Porém, por volta das 00:45 horas, sabia que era hora de voltar para o meu cantinho, situado estrategicamente ao lado direito do palco, pois, em minutos, veria uma das bandas mais criativas de sua geração.

E sem grandes atrasos, Billy Corgan entrou no palco, trazendo a tona o seu tradicional e querido estilo “lango-lango”.

Não, ele não entrou cantando 1979 ou Disarm, na verdade, optou por The Fellowship, música oriunda do projeto Teargarden by Kaleidoscope, boa música, mas, na minha humilde opinião, sem o brilho e o frescor de outrora.

Na seqüência, trouxe Lonely is the name que eu não conhecia, mas gostei bastante... É fato que até esse ponto o público não estava suficientemente empolgado.

Sim! O show estava ótimo, o som era perfeito, os músicos virtuosos, no entanto, faltava vida naquele show, faltava algo que fosse caro ao público e com o qual pudessem se identificar.

E então sobreveio uma linda versão de Today, um clássico de encher a alma e os ouvidos, que restaurou a emoção do público, todavia, após esse sopro de ar fresco, o show continuou instável, com muitas músicas novas, permeadas por um ou outro clássico.

Gostei, especialmente, da versão de Shame; nunca conhecei ninguém que gostasse dessa música, e sempre fui criticada por apreciá-la, assim, ouvi-la no show foi uma espécie de redenção.

É impossível dizer que a apresentação do Smashing foi ruim, contudo, ao contrário do que eu imaginava, após o show não me senti extasiada, estava feliz, mas não nas nuvens. E essa sensação não me contentou!

Tive a impressão que o Billy Corgan entrou em uma espiral curiosa, imergindo no próprio talento.

Que ele é um músico virtuoso e talentoso não há dúvida, contudo, a sensação que fica é que tanta virtuosidade afastou o público.

Tudo parecia demarcado demais, pensado demais, metódico demais e não me arrebatou, pois no meio de tanto método, faltou espaço para emoção, a antítese de todo aquele monte de razões externadas por meio intermináveis solos de guitarras e bateria.


Apesar disso, ainda sim, cada minuto valeu a pena!

Esperava mais, pois tinha minhas pretensões pessoais e meus sonhos de adolescente, cujas cores se assemelhavam, em muito, as cores do vídeo de 1979.

De fato, eu esperava ouvir Disarm e cantar juntinho “The killer in me is the killer in you/ Send this smile over to you”, mas não aconteceu, sem qualquer magoa ou sofrimento, simplesmente as coisas não saíram exatamente como eu esperava, mas nem por isso deixaram de ser interessantes.

E nem poderia ser diferente, pois da mesma forma que eu deixei de ser adolescente, o Smashing Pumpkins também cresceu, amadureceu e mudou.

E apesar das mudanças, o Smashing Pumpkins continuará sendo uma banda singular e, no que me diz respeito, estará sempre na minha lista de preferidas, afinal, nós nunca deixamos de amar os velhos amigos, estejam eles onde e como estiverem...

sábado, 20 de novembro de 2010

OBMJ LANÇA 1º ÁLBUM



Sob os arranjos de Sergio Soffiatti (ex-Skuba) e Felippe Pipeta (Sapo Banjo) a Orquestra Brasileira de Música Jamaicana se apropria do melhor da música popular brasileira trazendo para ela características das várias vertentes rítmicas e sonoras jamaicanas de raiz, desde o ska tradicional e seu viés mais jazzístico até a simplicidade e malandragem do early reggae passando pelo rocksteady e outros caminhos. Com o recém lançado álbum "Volume 1”, a OBMJ presenteia a todos com muito Ska para quem gosta de MPB e muita MPB para quem gosta de Ska.


Escute o álbum aqui.
Leia a entrevista aqui.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

FÁBIO A. EM DOSE DUPLA

Nosso amigo Fábio A. (artista plástico, músico, zineiro) mandou um email, pra divulgar suas mais recentes empreitadas. Ou melhor, as que estão por vir. Assim, em breve, teremos Fábio A. em dose dupla: tocando com seu projeto/codinome Ajaxfree e também expondo suas artes. Atividades distintas, datas e locais distintos:

O show acontece no dia 23/11, no SESC Santana, durante a Mostra SESC de Artes 2010. Ajaxfree fará uma participação na apresentação dos italianos do Splinter Vs Stalin. Flyer logo abaixo.


A Mostra Fragmentos, com as colagens de Fábio A., acontece em São Caetano do Sul (SP), do dia 30/11 a 20/01. Flyer logo abaixo.


Para conhecer as colagens de Fábio A., clique aqui.

Para ter algumas dicas do som do Ajaxfree, baixe aqui alguns discos (download liberado pelo artista) e leia a resenha que fiz, anos atrás, para a Rolling Stone:

AJAXFREE – “Zero O 9 Decompositioned Themes


Não é fácil ouvir AjaxFree, a empreitada solo do paulistano Fábio A, que vem apertando botões e produzindo ruídos desde 1998. Trata-se de um projeto avant-garde de música experimental barulhenta. Nesse novo álbum o AjaxFree permanece fiel à proposta original: anti-música, sem concessões, e agora totalmente gratuita (ele disponibilizou todo o material, inclusive esse novo, para download no site www.desde69.wordpress.com). Sempre há aqueles que se encantam com o barulho, como é o caso do Sepultura, que chamou o Fábio para fazer a intro e a OUTROdução do álbum Roorback, de 2003, ou de Thurston Moore, do Sonic Youth, que adquiriu uma fita k7 do AjaxFree, através de uma distribuidora européia. E de barulho o Thurston entende...

...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

VOCÊ NÃO ESTÁ IMUNE

Forgetters. Nova (nem tão nova assim, mas isso não vem ao caso) banda de Blake Schwarzenbach, aquele do Jawbreaker e Jets To Brazil. O vídeo logo abaixo mostra o trio em ação, apresentando um novo som. Bom som. Punk de responsa. Blake conhece do assunto. E se você gosta/gostava das bandas anteriores do cara, certamente não está imune aos Forgetters. Confira!

forgetters perform "I'm Not Immune" in Chicago from WBEZ on Vimeo.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

ENCONTRO DE CINEMA EM PARANAPIACABA


entre 26 e 28 de novembro; interessados podem se inscrever até o dia 18

Estão abertas as inscrições para o 1º Encontro de Cinema de Paranapiacaba – Cinema: Música para Ver! O encontro acontece na Vila de Paranapiacaba, de 26 a 28 de novembro, com exibição de títulos cinematográficos, bate-papo com diretores e workshops sobre fotografia e criação cinematográfica.

Um dos principais objetivos do evento é oferecer uma programação que dialogue com a arquitetura, a historicidade, o clima e a atmosfera peculiar da Vila de Paranapiacaba. Desta forma, a programação do encontro transita do clássico às experimentações contemporâneas, permitindo o debate e a reflexão a cerca da amplitude e da complexidade do audiovisual.

Quem tiver interesse em participar deve se inscrever na sede da Escola Livre de Cinema e Vídeo (Avenida Utinga, 136 – Vila Metalúrgica) até o dia 18 de novembro. Será necessário entregar no ato da inscrição uma cópia do RG, uma foto 3X4, comprovante de endereço e um breve currículo do inscrito. A divulgação dos candidatos selecionados será feito no site da Prefeitura de Santo André (www.santoandre.sp.gov.br) dia 22 de novembro.

Mais informações sobre o 1º Encontro de Cinema de Paranapiacaba podem ser obtidas pelo telefone (11) 4997-2155.

- Programação do 1º Encontro de Cinema de Paranapiacaba
Cinepiano

Dia 26 – 20h

Acompanhando filmes mudos, o compositor e pianista Tony Berchmans improvisa a trilha musical ao piano, misturando trechos de temas clássicos com música original, como ragtime e jazz tradicional, sempre em sincronismo com a ação e com os momentos emocionais das imagens. Tony Berchmans é autor do livro A Música do Filme – Tudo O que Você Gostaria de Saber Sobre a Música de Cinema. Foi curador do Música em Cena – 1º Encontro Internacional de Música de Cinema, realizado em maio de 2007, no Rio de Janeiro, e frequentemente participa dos festivais e concertos de música de cinema nos EUA, Espanha, Bélgica e Brasil.
Local: Clube União Lyra-Serrano (Rua Antonio Olyntho, s/nº)

Nem Dia Nem Noite
Dia 27 – 15h

Baseado no princípio do cinema e nas caixas teatrais, comuns em feiras e ruas da Europa no século XVIII e XIX, forma-se um teatro miniatura. Três minutos podem durar uma eternidade e uma caixa pode ter a dimensão de um oceano.
Local: Clube União Lyra-Serrano (Rua Antonio Olyntho, s/nº)

Narradores de Javé
Dia 27 – 17h

Exibição do filme, seguido por bate-papo com a diretora Eliane Caffé. No filme, os moradores da pequena cidade de Javé recebem a notícia de que o vilarejo será submerso pelas águas de uma represa. Inconformados, descobrem que o local poderia ser preservado se tivesse um patrimônio histórico de valor comprovado e documentado. Decidem, então, preparar um documento contando todos os grandes acontecimentos históricos, mas poucos sabem ler e só um morador, o carteiro Antônio Biá, sabe escrever. Depois disso, o que se vê é uma tremenda confusão, pois todos procuram o autor da obra para acrescentar algumas linhas e ter seu nome citado.
Local: Clube União Lyra-Serrano (Rua Antonio Olyntho, s/nº)

Exercícios
Dia 28 – 15h30

Exibição dos exercícios realizados durante as oficinas orientadas por Vebis Jr., Fábio Menezes e Christian Piana.
Local: Clube União Lyra-Serrano (Rua Antonio Olyntho, s/nº)

Wood & Stock: Sexo, Orégano e Rock’n’roll
Dia 28 – 16h

Exibição do filme brasileiro de animação do ano de 2006, com base nos personagens de Angeli. Em uma festa na virada para 1972, na casa de Cosmo, estão os jovens Wood, Stock, Lady Jane, Rê Bordosa, Rampal, Nanico e Meia Oito, que vivem intensamente o barato do flower power ao explodir dos fogos de Ano Novo. Trinta anos se passam e nossos heróis, agora carecas e barrigudos, enfrentam as dificuldades de um mundo cada vez mais individual e consumista.
Local: Clube União Lyra-Serrano (Rua Antonio Olyntho, s/nº)

Hands up / Golpes de Audácia
Dia 28 – 18h30

Comédia de 1926 sobre a guerra de secessão norte-americana. Uma comédia deliciosa no alvorecer do cinema, com Raymond Griffith. A trilha será executa ao vivo pelo músico Wilson Sukorski. No final da guerra civil norte-americana, o presidente Lincoln recebe a boa notícia que uma mina de ouro de Nevada fornecerá todos os recursos necessários para o esforço de guerra do Norte. O presidente quer que lhe tragam o ouro imediatamente. Ao mesmo tempo, Jack (Raymond Griffith), espião do Sul, recebe a missão de interceptar o carregamento de ouro.
Local: Clube União Lyra-Serrano (Rua Antonio Olyntho, s/nº)

Oficinas
Nos dias 27 e 28 de novembro, como parte da programação do 1º Encontro de Cinema de Paranapiacaba – Cinema: Música Para Ver!, serão oferecidas, das 9h30 às 15h, as seguintes oficinas:
Oficina de Interpretação para Cinema
O curso abordará aspectos da relação ator x câmera e permitirá que os atores tenham contato com diretores e uma experiência prática de cena para curta-metragem. Os estímulos e o cenário para realização dos exercícios serão as particularidades da arquitetura e atmosfera da Vila de Paranapiacaba.

A orientação será de Fábio Menezes, diretor e roteirista do curta-metragem Mudanças, com o qual participou da Mostra Paralela do Close – Festival Nacional de Cinema da Diversidade Sexual –, realizado em Porto Alegre. Como ator, já participou de vários trabalhos publicitários e produções de curta-metragem.
Local: Antigo Mercado (Rua Campos Sales, s/nº)

Oficina de Direção para Cinema: Novos Olhares para Paranapiacaba
Buscar e criar possibilidades para se trabalhar com o olhar e a construção dos planos cinéticos na realização de um curta-metragem ou experimentalismo em vídeo digital. Serão abordadas questões ligadas à concepção do roteiro, desde a ideia, passando pela construção de personagens e todas as fases da produção.

A oficina terá orientação de Vebis Jr., graduado em Radialismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Atualmente é professor de Fotografia e Produção no curso de Comunicação Mercadológica e operador técnico de estúdios de cine e TV da Universidade Metodista de São Paulo. Vebis Jr. ganhou importantes prêmios na área audiovisual, entre os quais o de melhor curta-metragem na Mostra Internacional de São Paulo, em 2006, e o Prêmio Estímulo às Artes – Cinema, da Secretaria de Cultura de São Bernardo.
Local: Casa Amarela (Rua Direita, s/nº)

Oficina Fotografia e Registro de uma Vila Histórica
Por meio de aulas teóricas e da exploração fotográfica será realizado um ensaio coletivo sobre a Vila de Paranapiacaba: seus lugares, sua história, a característica construtiva e as personagens que a habitam. A oficina abordará as características da Fotografia Paisagística, Fotografia de Reportagem e do Retrato.
A orientação será de Christian Piana, graduado em Artes Visuais e Fotografia pelo Instituto Europeo di Design, de Roma. Já coordenou várias oficinas de fotografias e fotografou e escreveu para diversas publicações.
Local: Clube União Lyra-Serrano (Rua Antonio Olyntho, s/nº)

Transporte
No dia da abertura do encontro dois ônibus levarão o público até a Vila de Paranapiacaba. Um ônibus sairá do Paço Municipal de Santo André e o outro da Escola Livre de Cinema e Vídeo, ambos às 17h.

Nos dias 27 e 28 de novembro também partirão ônibus do Paço Municipal de Santo André , às 7h30, com retorno da Vila de Paranapiacaba às 21h30.

Os alunos das oficinas promovidas durante o 1º Encontro de Cinema de Paranapiacaba – Cinema: Música Para Ver! Poderão se alojar na Casa Amarela, que fica na vila. Ressaltando que os interessados em pernoitar no local deverão levar roupa de cama, toalha e produtos de higiene. O alojamento não dispõe de refeição e café da manhã.

Sobre a Vila de Paranapiacaba
A Vila de Paranapiacaba, localizada a cerca de 30 km de Santo André , no alto da Serra do Mar, foi construída por ingleses no final do século XIX. A ferrovia local contava com 139 km de extensão e possibilitou o aumento do volume de transporte de café, mudança que foi fundamental para a riqueza econômica do estado e do país.

Paranapiacaba, seu patrimônio tecnológico e seu entorno, composto por remanescentes da Mata Atlântica, foram tombados em 1987 pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo) e, em 2002, pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). No ano seguinte, na esfera municipal, pelo Condephaapasa (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico-Urbanístico e Paisagístico de Santo André ).

SERVIÇO:
1º Encontro de Cinema de Paranapiacaba

Inscrições:
Até 18 de novembro de 2010.
Local: Escola Livre de Cinema e Vídeo – Parque Antonio Pezzolo – Chácara Pignatari (Avenida Utinga, 136 – Vila Metalúrgica).
Data do evento: De 26 a 28 de novembro de 2010.
Local: Vila de Paranapiacaba.
Informações: (11) 4997-2155.
Entrada gratuita.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

FANZINE KADERNO BOMBA ZINO



O KADERNO BOMBA ZINO é o mais novo lançamento de Fernando Job(The Katz).

Depois dos fanzines KOLETIVA UMBELA BOMBA ZINO,e KARTA BOMBA ZINO, o novo trabalho do inquieto The Katz nos traz "alguns registros produzidos de forma pessoal e independente acerca das artes".

Embora o tema seja novo, o texto e edição continuam na mesma pegada dos zines anteriores, isso significa, leveza, objetividade e honestidade. Retrato do respeito que o autor tem pelos fanzines.

Nesta edição temos (entre outros) resenha sobre o fanzine Fodido e Xerocado, matérias sobre a artista GEE VAUCHER e o documentário ROTA ABC, além de um pequeno panorama de alguns fanzines de arte que circulam pelos correios.



"Sendo assim, não detenho o menor interesse em suprir quesitos acadêmicos. Logo, me sinjto confortável em confessar que não sou especialista em nada e que assim estou bem. Então, dou de ombros aos entendidos que por aí andam aos montes e suas instituições.

QUERO MESMO É QUE TUDO SE TRANSFORME EM BOMBAS E QUE ESTAS NÃO DEMOREM A EXPLODIR...

E que fique bem claro que jovens da periferia também se interessam e produzem arte: expressão sincero e fora de esquemas."


Punk rock, ZINISMO Recomenda!

Se você não leu a entrevista que o ZINISMO fez com este autor, clique aqui.

Contato: kartabombazino@yahoo.com.br .

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

FANZINE VELHO RABUGENTO # 57



Recebi do guerrilheiro José Edilson o VELHO RABUGENTO # 57.

Para quem perdeu, fizemos uma entrevista com o velho em julho deste ano.

O fanzine de bolso continua em sua heróica missão em cobrir a cena punk/hardcore de todo nosso Brasil.

Nesse número temos entrevista com as bandas Tirei Zero (GO), Sertão Sangrento (RN), Noskill(PB) e End Hits (SP), além de uma recomendadíssima matéria sobre as bandas chilenas de powerviolence.

Caso não prefira o papel, baixe aqui a edição!

ZINISMO RRRecomenda!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

FLÁVIO GRÃO - CONCRETO


Lançado em parceria com a editora Ôrganiza,
Concreto é o mais recente zine/livreto de Flávio Grão e segue a mesma tendência do Manufatura, seu trabalho anterior. A ausência de palavras vincula cada vez mais mensagem à forma, neste caminho, o conteúdo é passado através de uma mistura de diversas colagens com seus inconfundíveis traços nos quais se liquidificam influências de Escher, Crumb e até Lourenço Mutarelli. No fanzine, toda a arte remete às construções do centro velho de São Paulo nas suas configurações mais originárias e aos seus diversos transeuntes do presente e do passado. Tanto a arquitetura como os indivíduos são elementos fixos e ao mesmo tempo dinâmicos da trama.

Este texto pictórico não permite que a realidade seja fragmentada, os personagens e o todo são mutuamente dependentes, a arquitetura e a história são construídas pelos indivíduos que acabam adquirindo as marcas de seus construtos, em outras palavras, a cidade de Flávio Grão é “o que são” e “o que fazem” seus transeuntes dinâmicos e pensantes, dependentes uns dos outros. Ilusoriamente, a realidade pode parecer fragmentada em muitas faces, diversos locais, estilos, sexos, idades e rotinas, mas na verdade, todos se formam e se influenciam por algo muito maior, complementar e concreto.

Impresso em vergê, cada exemplar do Concreto vem com uma arte diferente na capa em papel vegetal, tem tiragem limitadíssima e é numerado manualmente.

Zinismo recomenda!

Obs: Para saber mais sobre o Zine Concreto e outros trabalhos de Flávio Grão basta acessar sua entrevista para Punknet através deste link.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

3º ENCONTRO DE ZINEIROS NA COMBAT ROCK

3º ENCONTRO DE ZINEIROS - COMBAT ROCK

Essa veio via Viegas, por email, então, considere esse um post "psicografado" por mim, mas de autoria do Viegas! ;) - não é um guest post, mas um spiritual post!!!

Nosso amigo Márcio (Combat Rock/New City Rockers) deu o salve:

Acontecerá no próximo dia 06/11 o 3º Encontro de Zineiros lá na loja Combat Rock Discos (Rua Barão de Itapetininga, 37 Rua Alta loja 66).

Alem de juntar zineiros e entusiastas do fanzinato, o evento ainda contará com uma exposição de zines e flyers de shows de bandas produzidos durante as décadas de 80 e 90.

Quem quiser levar material para expor/trocar/vender fique á vontade! O Márcio vai adorar isso!!!

Um encontro essencial para zineiros da velha escola, mas principalmente para a nova geração de autores/editores de zines, afinal, pode ter certeza que quem for lá, terá acesso à um verdadeiro arsenal da cultura zineira.
Portanto, não percam! Colem lá na Combat Rock Disco, escutem um The Clash com o Márcio e viaje no tempo degustando e conhecendo o que moveu a verdadeira imprensa alternativa durante a sua época de ouro aqui no Brasil e, aproveite para se inspirar, trocar infos, conhecer outros zínicos e tentar arranjar aquele número daquele zine que você ama, mas, a porra do número 3 falta na sua coleção porque seu ex-vizinho pegou pra ler e dois dias depois se mudou para Manaus! (e nunca mais voltou... diria Tim Maia!)

Mais uma vez para não esquecer:

3º Encontro/Expo de Zineiros na Combat Rock Discos
Sábado 06/11/10 à partir das 14:00h
A Combat Rock Discos fica na
Rua Barão de Itapetininga, 37 Rua Alta loja 66
próximo ao metrô República


Quem quiser/puder ajudar divulgando no Orkut, Facebook, Twitter ou mandando esse post via email para seus camaradas da resistência zineira, o ZINISMO e o Márcio agradecem!

Quem for de longe ou mesmo de Sampa, mas quiser entrar em contato com o Márcio antes do Encontro/Expo para saber mais detalhes é só mandar um email para combatrockloja@gmail.com.

Recado dado! A gente se encontra por lá!

...keep the hope alive!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

PLAYER2WINS - RIMAS DE 4 "BEATS" (MAKERS)

Round One... Fight!!!

"Player2Wins is now following you..."
Foi assim que eu descobri o Player2Wins. Mas, foi lendo a descrição: "Diogo Comum, Henrique Rezende, Tiago "Rump" Frúgoli e Tiago Gordo, fazendo música (juntos, de preferência)" que eu me convenci que escutar o trabalho do P2W era urgente, afinal, estamos falando do coletivo que envolve uma boa parte do que há de melhor no "underground" do hip hop paulista.

Eu fiquei viciado nas rimas e nos beats classudos de Tiago "Rump" Frúgoli assim que escutei o álbum Progressivo (um dos melhores discos de hip hop de 2009, ao lado de Modus Operandi do Parteum e do Após Algumas Estações do Elo da Corrente). Pouco depois escutei a mixtape Dreams de Henrique Rezende (que eu conhecia pelo trabalho do Manutenção) e também chapei com a produção do cara. Já o Diogo Comum é daqui de perto da minha área, Rio Claro, e eu comecei a prestar atenção nele quando conheci o Questão de Essência.

Saber que esses beatmakers e rimadores estavam se unindo em torno do Player2Wins roubou (e tem roubado) muito da minha atenção. Passei a viver sempre ansioso pra ver o que sairia desse mato. Mas, sabe como é né? Se o mato é do bom, a brisa é melhor ainda!

O P2W não é uma banda ou um grupo de Rap. Na real, se trata de um coletivo mesmo, onde os quatro produtores e amigos se juntaram para lançar seus discos (solos), mas, dividindo a produção entre todos os quatro, e mais um montão de parceiros, é claro! Além de rimar, criar alguns beats e remixar faixas uns dos outros.

Particula(R)mentos Gerais - Henrique Rezende@Player2WinsParticula(R)mentos Gerais - Henrique Rezende@Player2Wins

Como era de se esperar, o primeiro fruto do P2W, Particula(r)mentos Gerais de Henrique Rezende, superou as minhas expectativas! São 20 faixas incluindo remixes e interludios geniais (alguns soam como um tributo aos seus ídolos, entre eles o falecido J. Dilla). Além dos 4 apocalípticos do P2W, Henrique ainda conta com participações de Elo Da Corrente, Faro-Z, Cavalier, Manutenção, Buda e Rodrigues.
Os beats e as melodias das bases levam o hip hop ao mais alto patamar em termos de qualidade de produção. É daqueles discos que viciam! Que você coloca a faixa um e o resto roda suave, sempre deixando um gosto de quero mais no final da faixa vinte, que se resolve logo apertando o botão "repeat".
O remix da faixa "Tudo que Eu Preciso" de Tiágo "Rump" Frúgoli, com participação do próprio, vai ser a primeira a te pegar. Depois "Let Go", que conta com o americano Cavalier comandando as rimas, "Black Power" que também tem gringos no mic, nesse caso, Faro-Z e Trezure e ainda a faixa "Queens" com participações do rapper Buda e do DJ Gusta, deixarão claro as referências de Henrique. Está tudo ali! De La Soul, Gang Star, Mobb Deep, além de, claro, J Dilla, Premier, 9th Wonder, Nas, enfim, daí pra cima! E ainda tem "Caminhos", "Embarque", "Sorria", "Cada Faixa" e a matadora "Teste Pra Cardiáco", uma parceria com o pessoal do Elo da Corrente, digna de um enfarte fulminante, pra judiar do seu pescoço! Bang motherfucker!

Já deu pra sacar que ninguém está de brincadeira no Player2Wins, e foi por isso que o Zinismo trocou alguns emails com o pai da criança, Henrique, e o padrinho, Tiágo Rump, exatamente no mesmo dia que o disco foi lançado.

Então...

Adivinha...

Mais uma da série: ENTREVISTA DE UMA PERGUNTA SÓ!

ZINISMO: Conte-nos um pouco sobre como surgiu a ideia de juntar essa galera em torno do Player2Wins, e como vocês estão sentindo as expectativas da galera em relação ao projeto, já que boa parte da vanguarda do rap paulista está envolvida com P2W. Vocês acham que isso pode ser uma certa pressão para vocês?

Henrique Rezende: Se não me engano, a primeira vez que a idéia do p2w surgiu coletivamente pra nós 4 - Diogo "Comum", Henrique Rezende (eu), Tiago "Gordo" e Tiago 'Rump' Frúgoli - foi no Indie Hip Hop de 2009. Eu tava naquela época com a intenção de fazer um EP com algumas instrumentais minhas, alguns remixes e faixas inéditas do Tiago 'Rump' rimando e/ou produzindo etc. Naquele dia o Tiago "Gordo" e o Diogo comentaram que também tavam com vontade de fazer um disco solo deles e que seria legal se nós - eu e o Rump - produzíssemos em parceria o EP deles. Nos dias seguintes a idéia foi amadurecendo e o Rump sugeriu de nós 4 formarmos um coletivo pra lançarmos os EP's juntos, de preferência mais ou menos na mesma data e conectados por esse mesmo nome, Player 2 Wins - nome dado pelo Rump - pra facilitar na divulgação e criar uma conexão entre os discos. Todos nós ficamos bem animados com a idéia e foi mais ou menos assim que teve início a parada...

Eu particularmente não me sinto pressionado quanto a meu disco recém lançado Particula(r)mentos Gerais, nem em relação aos EP's do Diogo e do Tiago "Gordo" que estão no processo de criação... Acho que estamos todos fazendo música entre amigos, cada um fazendo aquilo que está ao alcance de si nesse momento. Acho que os nomes são secundários e o essencial é a música, a sonoridade que nós estamos tentando criar, ao menos é assim que gostaria que ouvissem os sons. Nos Particula(r)mentos eu fui bastante fiel ao estilo de instrumentais (beats) que foram brotando nesses 10 meses de produção - tempo que levei pra produzir o disco com todos - sem me preocupar com comparações ou padrões de produção. Procurei fazer algo diferente do que já havia ouvido no Brasil e não em reproduzir algo que me desse uma maior garantia de preencher quaisquer expectativas. Pra finalizar queria aproveitar a oportunidade pra agradecer fortemente todo mundo que teve direta ou indiretamente envolvido no projeto e a oportunidade dada pelo ZINISMO!

Tiago Rump: Já faz tempo que, entre os produtores daqui, que faziam beats a partir de samples, o Henrique era quem eu mais gostava de ouvir. E apesar de admirar a maneira despretensiosa dele de produzir tão bem sem ter o projeto de lançar nada, já fazia tempo que eu torcia pra ele compartilhar essa música com mais gente, e é uma honra pra mim participar de alguma maneira disso. E concordo quando o Henrique fala que somos só amigos fazendo o som que a gente gosta. Acho até engraçado quando você pergunta sobre a pressão causada pela expectativa das pessoas, porque isso era a última coisa na nossa cabeça. Mas se essa expectativa existe, fico feliz. E espero que possamos superá-la.#

...
É! Superaram Rump! Superaram!!!

Para baixar o disco na integra e em alta qualidade, CLIQUE AQUI.

E no fim, basta concluir que quem ganha mesmo é quem ouve!
O resto é esperar pelos próximos bombardeios do Player2Wins!

player2wins_HenriqueHenrique Rezende

Tiágo RUMP FrúgoliTiágo RUMP Frúgoli


...

16º GOIÂNIA NOISE - PREPARE-SE

musica diablo

Musica Diablo


16º GOIÂNIA NOISE FESTIVAL

De 17 a 21 de novembro

Centro Cultural Martim Cererê

16 edições nas costas e o GOIÂNIA NOISE FESTIVAL continua instigado, com sangue nos olhos, apontando pro futuro da música urbana brasileira e buscando as mais radicais experiências musicais e internacionais. Se o line up traz a diversidade e excelência de sempre (onde, a título de exemplo, a sofisticação rítmica do pernambucano Otto divide espaço com uma legenda underground do quilate dos norte-americanos The Mummies), a UnConvention e o Compacto Petrobras são laboratórios sônicos de vanguarda.

Ainda que definitivamente consolidado e prestigiado no cenário musical contemporâneo, o GOIÂNIA NOISE FESTIVAL foge da acomodação e da mesmice como o Diabo foge da cruz. Sempre foi assim. Porque NOISE é barulho.

E daí que este ano o barulho será ainda maior e mais potente! É que, pelo terceiro ano consecutivo, o festival será ligado à Conferência Brasil Central Music, que de forma ainda mais ampliada tem dentro de sua programação noites com curadorias assinadas pelas produções dos festivais Release Alternartivo, Pé Rachado, Goyaz Festival, Música No Campus, Goiaba Rock e pelos projetos Petrobras Cultural e UnConvention. Ficou confuso? Calma que a gente explica.

Entre os dias 13 e 21 de novembro será realizada no Centro Cultural Martim Cererê mais uma edição da Brasil Central Music. Durante todos esses dias ocorrerão shows, palestras, workshops, discussões, conspirações e uma feira de produtos ligados à cadeia produtiva da música.

No dia 13, sábado, a programação musical fica por conta do festival Release Alternativo. No domingo, é a vez do hip hop com o Pé Rachado. Segunda-feira, dia 15, o jazz e a música instrumental ganham espaço com uma noite do Goyaz Festival. Na terça, o evento se desloca até o Campus 2 da Universidade Federal de Goiás (UFG) para uma noite do Música no Campus.

E aí, de quarta a sábado, o evento retorna para o Martim Cererê com as noites do 16º Goiânia Noise Festival, sendo as duas primeiras dedicadas aos projetos Compacto Petrobras e UnConvention e as duas últimas às tradicionais noitadas do festival.

Para completar, no domingo, dia 21, o Noise se desloca para a Ambiente Skate Shop, com mais uma rodada de shows, diversão e altas manobras!

Goiânia do Barulho mesmo! Com dezenas de shows de artistas dos mais diferentes estilos, linguagens, sotaques, tendências e atitudes em nove noites de música sem parar.

Com apresentação da Petrobras (através da Lei Rouanet) e do programa de Feira de Música (Feira Música Brasil) da Funarte / MINC, numa produção da Monstro Discos e co-realização CUFA, Fósforo Cultural, IGC, Studio K, UFG e com apoio do SEBRAE-GO, a 16ª edição do Goiânia Noise Festival somada a 3ª edição da Conferência Brasil Central Music, se apresenta como um dos mais importantes eventos de música e cultura jovem do País, e se estabelece como uma união que movimentará ainda mais a cena musical de Goiânia e ampliará a importância da cidade como celeiro e divulgadora da cultura produzida não só em Goiás, mas também em todo o Brasil.

PROGRAMAÇÃO MUSICAL

16º Goiânia Noise Festival

Dia 17 / NOV (QUARTA FEIRA)

COMPACTO PETROBRAS

Local: Centro Cultural Martim Cererê

Teatro Pyguá

01h00 – Macaco Bong (MT) e convidados: Vitor Araújo (PE) + naipe de metais dos Móveis Coliniais de Acaju (DF) + Jack – Porcas Borboletas (MG)

00h00 – Lucy and The Popsonics (DF) + John Ulhoa (Pato Fu) (MG)

23h00 – Superguidis (RS) + Philippe Seabra (Plebe Rude) (DF)

22h00 – Gloom (GO) + Diego de Moraes e O Sindicato (GO)

Dia 18 / NOV (QUINTA FEIRA)

UNCONVENTION FACTORY BRASIL

Local: Centro Cultural Martim Cererê

01h00 – Violins (GO)

00h20 – Mugo (GO)

23h40 – Johnny Suxxx and The Fucking Boys (GO)

23h00 – Hellbenders (GO)

22h20 – Dyskreto (GO)

21h40 – Space Monkeys (GO)

21h00 – Hot & Hard Co. (GO)

Dia 19 / NOV (SEXTA FEIRA)

Local: Centro Cultural Martim Cererê

02h00 – Krisiun (RS)

01h10 – Otto (PE)

00h30 – Black Drawing Chalks (GO)

00h00 – Nina Becker (RJ)

23h30 – Walverdes (RS)

23h00 – Viv Albertine (The Slits) (Reino Unido)

22h30 – Volantes (SP)

22h00 – El Mató A Un Policia Motorizado (Argentina)

21h30 – Spiritual Carnage (GO)

21h00 – Bang Bang Babies (GO)

20h30 – Fígado Killer (GO)

20h00 – banda selecionada pelo Toque No Brasil

19h30 – Trivoltz (GO)

19h00 – Folk Heart (GO)

Dia 20 / NOV (SÁBADO)

Local: Centro Cultural Martim Cererê

02h00 – Musica Diablo (FOTO - SP)

01h10 – The Mummies (EUA)

00h30 – Cólera (SP)

00h00 – Mechanics (GO)

23h30 – 3 Hombres (SP)

23h00 – Do Amor (RJ)

22h30 – Vespas Mandarinas (SP)

22h00 – Ecos Falsos (SP)

21h30 – Bandanos (SP)

21h00 – Dizzy Queen (ES)

20h30 – Cuartro Invitados (Argentina)

20h00 – banda selecionada pelo Toque No Brasil

19h30 – Ímpeto (GO)

19h00 – Posthuman Tantra (GO)

Dia 21 / NOV (DOMINGO)

Local: Ambiente Skate Shop

19h00 – Galinha Preta (DF)

18h15 – WxCxM (GO)

17h30 – Ultravespa (GO)

16h45 – Radiocarbono (GO)

16h00 – Black Queen (GO)